"Porque eu fazia do amor um cálculo matemático errado: pensava que, somando as compreensões, eu amava. Não sabia que, somando as incompreensões é que se ama verdadeiramente" (Clarice Lispector).







quarta-feira, 13 de outubro de 2010

... minha proposta

Permita-me ousar todos os meus conceitos e preconceitos. Esboçar minhas razões de uma vida pouco vivida. Enlouqueço só em pensar de parar com os textos, em silenciar minha voz traçada, pintada, lida - talvez - relida.

Meu ímpeto é de um aventureiro que busca encontrar um atracadouro seguro, perto de águas mansas e brisa suave; daquela que é incapaz de levar para longe a vida que pulsa em meu peito.

Minhas perícopes borbulham acidez, suavidade, amor, carinho, ódio, paixão... lucidez e coragem fazem coro ao meu dia a dia. Assim como minha filha que não entrega a brincadeira pelo sono, desejo não entregar minha escrita à covardia.

Busco um lugar onde as palavras falem por mim, onde minha escrita revele meu interior sagrado e profano. Percorro este caminho, sinto a proposta a mim apresentada e não desejo mais fugir. Espero que a poesia esteja ao meu lado; careço dela – desejo sua companhia.

Minha proposta ainda respira: uma busca... um sentido... uma visão... algumas idéias.

Enfim... voltei!

4 comentários:

Marcos Wandré disse...

Graça e Paz, Vitor Hugo

Com certeza, a blogosfera ficou mais rica na arte de pensar a espiritualidade com Cristo, com a sua volta!!

Que bom!! Seja bem-vindo!!

Um abração em Cristo!

Vitor Hugo da Silva - Joinville, SC disse...

Marcos!

Valeu pelo recado. Tentarei tirar da velha cartola aquele precioso tempo para escrever.

Um abraço!

Adelita Olbrisch disse...

Bem-vindo novamente!
:)
nem preciso dizer que o texto
tá perfeito!

Adelita Olbrisch disse...
Este comentário foi removido pelo autor.